Legalidade e Política Antissuborno

I. LEGALIDADE E POLÍTICA ANTI-SUBORNO:

A nossa empresa («DIPREM» ou a «Organização») se dedica à prestação de Serviços Laborais, assessoria em qualidade, segurança, saúde ocupacional, higiene, ambiente e controlo documental de empreiteiras, Recrutamento e selecção de Pessoal, desenvolvemos as nossas actividades com a objetivo de gerar valor para nossos acionistas, clientes, colaboradores, fornecedores e as comunidades onde atuamos e, por isso, realizamos cada operação comercial com integridade e no pleno cumprimento da legislação aplicável, independentemente de qualquer costume ou tradição local. Em particular,

É política da Organização PROIBIR o suborno em nome da DIPREM, direta ou indiretamente, a qualquer pessoa ou organização, a fim de obter ou manter um negócio, garantir uma vantagem desonesta ou em relação ao Desempenho Incorreto de uma Função. Que incorra em violação de Leis Internacionais Antissuborno. Da mesma forma, a Organização proíbe o recebimento de subornos de qualquer natureza.

A DIPREM está empenhada em atender aos requisitos e melhoria contínua de seu Sistema de Gestão Antissuborno e, em promover o cumprimento efetivo desta Política, oferece treinamento e educação para funcionários, funcionários, pessoal contratado e Representantes da Organização sobre os Procedimentos Internacionais de Conformidade com Práticas Antissuborno e as políticas e procedimentos da Organização, a fim de informá-los sobre as responsabilidades éticas e legais impostas pelas Leis Internacionais Antissuborno e ajudá-los a cumprir suas obrigações de maneira honesta e ética.

Qualquer violação desta Política ou dos Procedimentos do Sistema de Gestão Antissuborno resulta na aplicação de uma ação disciplinar, que pode incluir a rescisão da relação de trabalho, de acordo com as leis dos países onde operamos (Ver P-038 Sanções).

A administração nomeia uma equipe responsável pela função de conformidade antissuborno que tem a autoridade e independência necessárias para supervisionar o projeto e a implementação do SGA, garantir que ele esteja em conformidade com os requisitos da ISO 37001 e relatar o desempenho do sistema de gestão. – suborno do conselho de administração e da alta administração.

Se você precisar levantar questões (reclamações), pode fazê-las por meio de nossa Linha de Ética, encontrada em nosso site www.diprem.com.

Em caso de dúvidas ou consultas a respeito da Política e Procedimentos Internacionais de Conformidade com Práticas Antissuborno, de forma geral ou aplicada a um caso particular, entre em contato a função de conformidade antissuborno para o seguinte endereço de e-mail: conducta.empresarial@diprem.com.ar.

II. RESPONSABILIDADES.

Esta política antissuborno se aplica a todos os funcionários, funcionários, pessoal contratado e Representantes da Organização. Além disso, aqueles cujos perfis de trabalho foram identificados como expostos a mais do que um baixo risco de suborno, submetem anualmente uma declaração (aceitação da política) que confirma o cumprimento desta política.

Qualquer pessoa interna ou externa à organização pode relatar, sem medo de retaliação, qualquer violação real ou possível destes Procedimentos e qualquer coisa que possa causar uma violação das Leis Internacionais Antissuborno ao seu supervisor, a Função de Conformidade Antissuborno e / ou a linha de contato do DIPREM para questões éticas e / ou o endereço de e-mail conducta.empresarial@diprem.com.ar. Aqueles que desejam permanecer anônimos podem denunciar violações por meio da Linha de Denúncia www.diprem.com.

A organização tem o compromisso de apoiar qualquer pessoa com preocupações genuínas de boa fé de acordo com estes Procedimentos, mesmo quando se revelar um erro.

III. GENERALIDADES DAS LEIS INTERNACIONAIS ANTI-SUBORNO.

O que significa suborno e quando a DIPREM pode ser responsabilizada?

As Leis Internacionais Antissuborno proíbem a concessão de suborno direta ou indiretamente para obter ou manter negócios ou para garantir uma vantagem indevida ou em conexão com o desempenho incorreto de uma função. Eles também proíbem a aceitação de subornos.
O suborno se refere ao ato de dar ou receber algo de valor em troca de algo que está errado. Da mesma forma, entregar ou oferecer e prometer entregar algo de valor com a intenção de influenciar o destinatário pode constituir um suborno, mesmo quando o destinatário não aceitou o item de valor ou agiu de forma inadequada.
O pagamento não tem de ser em dinheiro: a oferta ou entrega de qualquer coisa de valor é suficiente para dar origem a uma infração.

O suborno também pode incluir pagamentos feitos para facilitar um resultado, obter tratamento rápido ou garantir um pequeno favor.

O suborno é um crime que pode expor a DIPREM e as pessoas envolvidas a penalidades severas e a DIPREM não admite atos de suborno.

Isso significa que qualquer pessoa associada à Organização (incluindo todos os dirigentes, funcionários, pessoal contratado, Representantes ou outros que prestam serviços em nome da Organização) nunca deve:

  • Entregar (ou prometer ou oferecer) qualquer coisa de valor a alguém em conexão com o desempenho incorreto de uma função (ou seja, induzir alguém a violar seus deveres ou abusar de sua posição);

    Aceitar (ou solicitar) qualquer coisa de valor de alguém em conexão com o desempenho incorreto de uma função;

  • Entregar (ou prometer ou oferecer) qualquer coisa de valor a um funcionário público com a intenção de influenciá-lo em virtude de seu cargo, a fim de obter ou reter uma vantagem;
  • Estabelecer um «fundo oculto» não registrado para qualquer propósito; ou
  • Faça o que for necessário para induzir, facilitar ou permitir que outra pessoa realize qualquer uma das atividades descritas acima.

É nosso dever relatar o seguinte ao nosso supervisor, para a função de conformidade antissuborno ou e-mail para questões éticas da DIPREM ou anonimamente em nosso site www.diprem.com, mais rápido possível:

  • Todas as violações e possíveis violações desta Política;
  • Qualquer coisa que possa levar a uma violação futura; e
  • Qualquer situação que possa representar risco de suborno.
  • Âmbito limitado das leis internacionais antissuborno

As Leis Internacionais Antissuborno não se aplicam em determinadas situações, a saber:

  1. Despesas de negócios razoáveis ​​e boas
    Um pagamento pode ser feito se a despesa comercial for razoável e de boa fé, como viagem ou acomodação, e estiver diretamente relacionada à promoção, demonstração ou explicação de serviços ou à conclusão ou execução de um contrato. Porém, é necessário seguir as instruções estabelecidas no PO-004 Presentes e Entretenimento. antes de fazer esse pagamento com base nesta exceção limitada.
  2. Pagamentos explicitamente permitidos pelas leis escritas locais. Em certas circunstâncias limitadas, a DIPREM pode fazer um pagamento a fim de obter ou manter um negócio ou garantir uma vantagem se o pagamento e a influência que pode ter sobre o destinatário forem explicitamente permitidos ou exigidos pelas leis escritas do país em questão. Não é suficiente que o Pagamento não seja proibido, seja costumeiro ou que o país em questão não aplique suas leis anti-suborno. No entanto, nenhum dirigente, funcionário, pessoal contratado ou Representante da DIPREM pode confiar nesta exceção sem a aprovação prévia por escrito da função de conformidade antissuborno.
  3. Pagamentos feitos sob coação imprevisível
    Ocasionalmente, os pagamentos podem ser exigidos sob coação. O ato de coerção pode ocorrer quando há violência real ou ameaça de violência, prisão ou outra ameaça pessoal que tende a forçar alguém a fazer um Pagamento contra sua vontade.
    A DIPREM não espera que nenhum de seus diretores, funcionários, pessoal contratado ou Representantes coloque sua segurança ou a de outros em risco, mas exige que eles enviem um relatório por escrito de qualquer incidente à Função de Conformidade Antissuborno para tomar as devidas providências ação, a fim de evitar a repetição do referido incidente.
    Na medida em que uma situação envolvendo coerção seja imprevisível ou recorrente, entre em contato com a Função de Conformidade Antissuborno para resolver o problema e evitar qualquer violação das Leis Internacionais Antissuborno.

A DIPREM deve manter registros precisos de todas as operações

As Leis Internacionais Antissuborno incluem requisitos de registro elaborados para evitar o suborno. A política da DIPREM exige o cumprimento desses requisitos. Na DIPREM, para manter livros e registros adequados que atendam à legislação em vigor em cada um dos países onde atua, assume o compromisso de manter registros contábeis precisos e estabelece os controles necessários para evitar lançamentos contábeis fraudulentos que ocultem pagamentos indevidos que violam as Leis Internacionais Antissuborno.

Penalidades por violação das leis internacionais antissuborno

As penalidades por violação das Leis Internacionais Antissuborno são severas. Além da Organização, pessoas físicas, funcionários, funcionários, pessoal contratado e Representantes podem estar sujeitos a multas. Por exemplo, a FCPA inclui penalidades civis de U$ S10.000, multas criminais de U$ S100.000 e / ou reclusão de até cinco anos por violação das Leis.

Independentemente do fato de DIPREM ser processado ou considerado culpado de uma violação. A DIPREM não poderá reembolsar a pessoa física o valor da multa.
Mesmo as suspeitas de violação podem resultar em publicidade desfavorável e perda da reputação da empresa. Portanto, a DIPREM não tolerará violações das Leis Internacionais Antissuborno.

IV. PROCEDIMENTOS DA LEI ANTI-SUBORNO INTERNACIONAL.

Passo 1: Falha em fornecer qualquer coisa de valor que viole as leis antissuborno.

Passo 2: Identifique e resolva os sinais de alerta em cada operação e busque orientação da Função de Conformidade Antissuborno da DIPREM quando necessário. Uma lista de amostra de Sinais de Alerta está incluída no Anexo A.

Etapa 3: Realize a devida diligência em relação aos Parceiros de Negócios e Representantes, a fim de identificar os Sinais de Alerta de acordo com a Seção VII

Passo 4: Incorporar as cláusulas modelo das Leis Internacionais Antissuborno nos contratos firmados com Parceiros Comerciais e Representantes, a fim de garantir que as partes com quem a DIPREM conduz negócios e aqueles que trabalham em nome da DIPREM entendam os requisitos das Leis Internacionais Antissuborno Leis e estes procedimentos

Etapa 5: Manter registros precisos de todos os Pagamentos nos livros e registros da DIPREM de acordo com a Seção III seção C).

Etapa 6: A Função de Conformidade Antissuborno conduzirá treinamento periódico para garantir a compreensão total dos requisitos das Leis Internacionais Antissuborno e destes Procedimentos.

Etapa 7: Manter registros de Due Diligence, contratos, negociações de contratos e outros documentos sujeitos à Lei Internacional Antissuborno de acordo com as políticas de preservação de documentos da DIPREM.

V. PRESENTES E ENTRETENIMENTOS.

A DIPREM tem uma política de presentes e entretenimento, tanto para entrega quanto para recebimento, limitada a um valor, para que não possam ser percebidos como suborno, para o qual estabelece diretrizes no PO-004 Presentes e entretenimento. Em caso de dúvidas, consulte a Função de Conformidade Antissuborno.

VI. SERRA. CONTRIBUIÇÕES E DOAÇÕES POLÍTICAS DE CARIDADE.

⦁ Contribuições de caridade

A DIPREM tem como política fazer contribuições beneficentes e doações, de forma que não sejam percebidas como suborno, para o qual estabelece diretrizes no P-002 Doações. Em caso de dúvidas, consulte a Função de Conformidade Antissuborno.

As doações para instituições de caridade genuínas não são proibidas pelas Leis Internacionais Antissuborno. No entanto, a DIPREM considera crime fazer uma contribuição direta ou indireta a uma instituição de caridade com o objetivo de influenciar uma decisão sobre a atividade empresarial da DIPREM ou sobre o Desempenho Incorreto de uma Função.

É política da DIPREM realizar contribuições e doações beneficentes somente quando estiverem alinhadas com as características-chave dos objetivos de Responsabilidade Social Corporativa da Organização, que promovem o desenvolvimento social das pessoas (educação, saúde, treinamento, meio ambiente, etc.) que vivem em comunidades que circundar os locais onde a DIPREM realiza suas operações.

As contribuições de caridade e doações geralmente estão incluídas no orçamento anual da DIPREM, que requer aprovação por meio de uma resolução da administração da Organização.

Antes de fazer quaisquer contribuições de caridade e doações que não estejam incluídas no orçamento anual, você deve obter aprovação prévia por escrito. a função de conformidade antissuborno.

⦁ Contribuições Políticas

Na DIPREM é proibido fazer contribuições a partidos políticos, e considera-se que a política da empresa quanto ao cumprimento da lei, proibição de fazer contribuições a partidos políticos e pagamentos a governantes deve ser divulgada entre os colaboradores para que não haja desconhecimento do o respeito. Esta política é aplicável tanto à DIPREM quanto à sua controlada Diprem CO SAS.

VII. ANTI-SUBORNO DA DUE DILIGENCE NO QUE DIZ RESPEITO A REPRESENTANTES E PARCEIROS DE NEGÓCIOS

A DIPREM zela por sua reputação por meio de procedimentos de due diligence antes de interagir com seus parceiros de negócios e contratar pessoal, de acordo com os procedimentos (ver P-036 Due diligence e P-017 Gestão de Recursos Humanos).

VIII. RELATÓRIO E INVESTIGAÇÃO DE POSSÍVEIS VIOLAÇÕES

Se a DIPREM receber um relatório de uma violação possível ou real das Leis Internacionais Antissuborno ou destes Procedimentos, a Função de Conformidade Antissuborno deve conduzir uma investigação e tomar todas as medidas necessárias para resolver o assunto. Tal ação deve incluir, se necessário, ações disciplinares de acordo com a legislação vigente sobre o assunto, bem como a revisão destes Procedimentos de forma a auxiliar na prevenção de futuras violações.

A DIPREM garante que esta investigação seja conduzida de forma confidencial e por diferentes pessoas, sem responsabilidade pela função denunciada. (Consulte o procedimento P-037 para uma linha de reclamação).

IX. COMPROMISSO COM A MELHORIA CONTÍNUA DO SISTEMA DE GESTÃO ANTI-SUBORNO

A organização está comprometida com a melhoria contínua do Sistema de Gestão Antissuborno.

X. DEFINIÇÕES

Pessoal qualificado: Todo funcionário com competência para tomar decisões e agir em nome da Organização.

Representante: Qualquer pessoa ou entidade que atue direta ou indiretamente em nome da DIPREM, incluindo, mas não se limitando a, representantes comerciais, distribuidores, revendedores, consultores e corretores.

Qualquer coisa de valor: Qualquer coisa que tenha valor para o beneficiário. Isso pode incluir, mas não está limitado ao seguinte: dinheiro, transferência de ações, títulos ou qualquer outro bem; Pagamento de despesas; a prestação de serviços de qualquer espécie; presentes; trabalho; o cancelamento de uma dívida; qualquer outra transferência de bens, serviços, tangíveis ou intangíveis, que beneficie o destinatário. Não há um mínimo que deve ser excedido antes que uma coisa de valor seja considerada ilegal de acordo com as Leis Internacionais Antissuborno.

Parceiros de negócios: Todas as pessoas e entidades com as quais a DIPREM e suas subsidiárias fazem negócios, incluindo, mas não se limitando a, fornecedores, clientes e parceiros em Joint Ventures.

Diligência devida: O processo de obtenção e revisão de informações relevantes para avaliar e mitigar riscos.

Leis internacionais antissuborno: Toda lei aplicável, constituição, tratado, convenção, decreto, princípio de equidade, código, regra, regulamento, resolução, decreto, ordem executiva ou qualquer outro ato semelhante adotado, promulgado ou aplicado de maneira válida e legal por qualquer organismo governamental destinado a para evitar suborno, corrupção ou entrega de dinheiro ou qualquer coisa de valor, direta ou indiretamente, a um beneficiário proibido, a fim de obter ou reter uma vantagem inadequada, incluindo, mas não se limitando às leis argentinas, Lei de Práticas de Corrupção no Exterior dos Estados Unidos (15 USC §§ 78m, 78dd1-3 e 78ff) e a Lei Antissuborno do Reino Unido de 2010.

Órgão governamental: Qualquer legislatura, agência, escritório, departamento, divisão, comissão, tribunal, agência, subdivisão ou qualquer outra entidade de qualquer governo nacional, provincial, municipal ou local ou organização pública internacional, incluindo as forças armadas e empresas, organização e associações controladas , operado de propriedade do Governo. Por exemplo, o termo «Organismo Governamental» inclui especialmente as Organizações registradas como privadas com funções quase governamentais, organizações cuja maioria dos membros é composta por entidades governamentais ou quase governamentais e entidades nas quais um governo tem o poder de exercer o efetivo ao controle.

Pagamento: Entrega, oferta ou promessa de qualquer coisa de valor a outro indivíduo ou entidade.

Desempenho incorreto de uma função: Refere-se ao desempenho de uma função que viola a expectativa de que uma pessoa agirá de boa fé, imparcialmente ou de acordo com uma posição de confiança.

Funcionário público: Qualquer ministro, oficial, oficial ou funcionário eleito ou nomeado de qualquer Organismo Governamental. Estão incluídos os partidos políticos, seus dirigentes ou candidatos a cargos públicos.

Sinalizadores vermelhos: fatos ou circunstâncias que sugerem o risco de violação das Leis Internacionais Antissuborno. Exemplos de sinais de alerta estão incluídos no Anexo A.

ANEXO A

Sinais de alerta (bandeiras vermelhas)

A seguir está uma lista de possíveis fatos e circunstâncias que podem sugerir o risco de violação das Leis Internacionais Antissuborno, também conhecidas como Bandeiras Vermelhas.
Se você suspeitar que uma possível violação das Leis Internacionais Antissuborno está prestes a ocorrer ou ocorreu, informe o assunto imediatamente ao seu supervisor, à função de conformidade antissuborno ou à Linha de Contato de Ética da DIPREM no endereço de e-mail conducta.empresarial@diprem.com.ar.
⦁ O país tem um histórico ou reputação de corrupção.
Assistir https://www.transparency.org/
⦁ Solicitação de comissão ou pagamento a um nível substancialmente superior à taxa atual para o tipo de trabalho exigido no país em questão.
⦁ Solicite que a comissão ou pagamento seja entregue em outro país ou a um terceiro.
⦁ Pedido de pagamentos em dinheiro ou em título ao portador.
⦁ Solicitação de maior remuneração durante uma campanha de vendas.
⦁ Solicitação de reembolso de despesas mal documentadas.
⦁ Falta de experiência ou conhecimento na área para a qual o Representante é contratado.
⦁ Incapacidade de contribuir com qualquer coisa para um acordo, exceto influência.
⦁ Laços familiares ou comerciais com pessoas em uma posição que possa conceder autorizações ou aprovações governamentais à DIPREM, conceder negócios à Empresa ou de outra forma impactar as operações da Empresa.
⦁ Recusa de declarar por escrito que a pessoa entende as disposições das Leis Internacionais Antissuborno e que as cumprirá.
⦁ Recusa em entrar em um acordo por escrito.
⦁ As transações são registradas como «dinheiro» e os cheques são descontados em dinheiro.
⦁ Faturamento excessivo ou falta de faturas padrão.
⦁ Ajustes grandes e frequentes no último trimestre.
⦁ Recusa em concordar com controles financeiros ou outros controles razoáveis.
⦁ Insistência em ter controle exclusivo para qualquer aprovação em um Órgão de Governo.
⦁ Inconsistência entre os interesses econômicos e a contribuição do Parceiro de Negócios na associação.
⦁ Violações anteriores da lei ou política local (por exemplo, violações das leis de câmbio ou impostos).
⦁ Acusações relacionadas à integridade.
⦁ Uso de empresas de fachada.
⦁ Falta de instalações ou pessoal treinado.
⦁ O Parceiro de Negócios foi recomendado por uma pessoa em uma posição que pode conceder autorizações ou aprovações governamentais à DIPREM, conceder um negócio à Empresa ou de outra forma ter um impacto nas operações da Empresa.
⦁ Interpretações errôneas ou inconsistências nos questionários ou processos de Due Diligence.
⦁ Um terceiro tem a reputação de pagar subornos ou solicitar subornos em seu nome ou ter tido um «relacionamento especial» com uma pessoa em uma posição que pode conceder autorizações ou aprovações governamentais à DIPREM, conceder um negócio à Empresa ou de outra forma ter um impacto nas operações da Empresa.
⦁ Um terceiro tem um «parceiro oculto» ou alguma outra relação com o governo ou família real.
⦁ Um terceiro exige hospitalidade ou presentes generosos antes de iniciar ou continuar as negociações do contrato ou a entrega do serviço.
⦁ Um terceiro solicita que seja feito um pagamento para «ignorar» possíveis violações da lei.
⦁ Um terceiro solicita que um amigo ou membro da família receba emprego ou alguma outra vantagem.
⦁ Um terceiro não divulgará a identidade de diretores ou outras pessoas que tenham interesse na entidade.

Você quer apresentar uma reclamação?

Fazer uma reclamação